Susto com Marcoumar

Oi pessoal,

Tudo bem com vocês?

Agora que o susto passou, já dá pra contar a situação tensa que aconteceu comigo na semana passada… ou há algumas semanas para ser mais exata.
Há algum tempinho estávamos com uma situação chatinha lá em casa. Minha mãe precisava fazer uma cirurgia, para retirar a tireoide e ela havia sido cancelada 3x por inúmeros motivos. E eu que sou a filha mais nova e vivemos juntas, me programei para tirar férias e cuidar dela durante o período de cirurgia dela. Com o último cancelamento (por causa da greve dos caminhoneiros), meus planos foram por água abaixo. Não ia conseguir viajar e estávamos na expectativa do agendamento ou não da cirurgia. Claro que não consegui relaxar em momento algum. Só dormi bastante, o que estava de fato precisando. E consegui terminar um casaco de tricô que levei quase 1 ano para fazer. Enfim…  finalmente, na véspera de eu retornar ao trabalho, minha mãe operou. Deu tudo certo. Tirou os 2 lados da tireoide e terá de tomar levotiroxina pelo resto da vida agora. Isso é o de menos.
No meu workaholism, eu fiquei tensa, preocupada se minhas irmãs conseguiriam dar conta de tudo o que minha mãe faz além de cuidar dos cachorros e fazer curativo na cirurgia (que eu não tenho nenhum problema em fazer, mas minhas irmãs tem horror a sangue rrss). Eu sei que deu um nó na minha cabeça por tudo isso, mas segurei a onda bonitinho (pelo menos para quem estava de fora, que era o principal).
Por causa da cirurgia da minha mãe, meu trabalho permitiu que eu trabalhasse de casa até que ela tirasse os pontos. Voltei na 2a feira passada com esse susto..

Exatamente no dia que retornei ao trabalho, acordei com a boca com muito gosto de sangue. Achei estranho, mas como uso aparelho, achei que eu pudesse ter prendido a bochecha no aparelho ou coisa do tipo, mas quando fui banheiro, eu cuspi bastante sangue.  Quando olhei para minha mão, tinha um belo hematoma no dedo.  Fiz o TAP na hora do almoço. À noite, o resultado saiu: 7,61 . Minha mãe não me deixou mais chegar na cozinha por causa das facas, com medo de eu me cortar. Não tomei o anticoagulante naquele dia e meu jantar incluiu uma porção generosa de salada com rúcula. Acordei no dia seguinte, cuspindo sangue novamente e isso continuou até a hora do almoço mais ou menos. Fiquei enjoada e com dor de cabeça. Eu fui fazendo minhas coisas, mas minha mãe foi me monitorando. No trabalho, eu comentei com alguns colegas e todo mundo foi categórico em me mandar para o hospital. Não deu nem tempo de falar com o meu reumato. Fui para o hospital, fiz novo tap (tinha caido para 6.2), fiz tomografia, fiquei mais roxa do que já estava. Por causa do sangue tão fino, achei que eles fossem me dar vitamina K. Mas eles optaram por monitorar o INR. Caso não voltasse ao normal, a recomendação era que eu deveria tomar plasma.
E o monitoramento continuou até 6a feira (quando estava em 5,4). Comi folhas verde escuras todos os dias. Hoje fiz novo TAP para ver como ele está… e agora há pouco_ por volta das 19:30_ saiu o resultado e finalmente cheguei a 2.8, ou seja, depois de uma semana vou poder voltar a tomar o meu remédio… Ufa! Que sufoco…
Na terapia, minha terapeuta falou uma coisa que depois concordei plenamente: quando a gente não fala, o nosso corpo fala por nós. Eu não abri a boca para expor a minha preocupação com relação ao cuidado com a minha mãe, e trabalhar de casa, encerramento do curso de auditoria que eu estava fazendo, minha dureza, as dores nas articulações etc, e  quando eu finalmente consegui respirar que tudo tinha acabado e que tinha acabado bem, meu corpo somatizou o stress, afinando o meu sangue.
Esta foi a primeira (e talvez a última vez) que isso aconteceu usando o Marcoumar.
No dia 06/07 tenho consulta com dr Ricardo e vamos redefinir a minha estratégia de anticoagulação. Foi um susto e tanto, mas que graças a Deus, está caminhando para acabar bem…

Voltando ao normal

No ultimo sábado refiz o TAP, que, como vcs sabem, havia dado como incoagulável no exame da ultima Terça. O resultado deu 1.88, o que explicou a enxaqueca que estava sentindo desde a parte da tarde de sábado. Confesso que até consegui respirar aliviada. Estava morrendo de medo do resultado continuar dando “incoagulável”. Como eu fiz para o resultado vir tão baixo? Além de ter seguido as orientações dos reumatologistas, dei uma de criança em casa de avó e comi um monte de alimentos proibidos da listagem. Comi rúcula,repolho, tomei suco de uva, comi quiabo… Só nao comi chocolate. Eu tenho certeza que vou levar um puxão de orelha dos médicos, quando eles lerem isso, mas, ao menos nao corro o risco de continuar cheia de hematomas (como estou com o corpo coberto de hematomas), nao corro mais o risco de ter sangramento nasal ou na gengiva, como ocorreram na semana passada. Meu sangue estava realmente tão fino que eu consegui ganhar hematoma na mao, no braço onde o exame foi feito, no pé, entre os dedos, na barriga, onde fica o botão da calça jeans. O pior de todos os hematomas é o do braço direito, que a impressão que dá é de que eu dei com o braço em algum lugar com violência. Nem quando eu fazia boxe eu ganhava tantos hematomas. Meu fisioterapeuta teve q fazer Ultrassom para aliviar o inchaço e a dor. Só depois disso que começou a aliviar.
Estar incoagulável me deixou tão apavorada que eu nem cheguei perto da cozinha ou de material de manicure nessa semana. Outros pacientes com SAF relataram que chegaram a ser internados no hospital enquanto estavam incoagulaveis. Acho que dei muita sorte por nao precisar ir para o hospital.
Bem, na quinta feira (ou amanha) vou ao consultório do Dr. Roger fazer um novo TAP e, partindo dai, vamos regularizar a dosagem dos medicamentos, que, por causa do “incoagulável”, fiquei três dias sem o anticoagulante e agora estou tomando a metade da dosagem normal. Vamos ver como fica…