Exaustão

Oi Pessoal

Saudades de vocês.
Quem me acompanha sabe que faz um tempinho que não posto nada pessoal. Por um lado, a notícia é boa… De acordo com os últimos exames que fiz, a  SAF parece estar bem controlada. Minhas dores articulares reduziram bastante e meu INR, com o Falithrom (Herzlichen Dank, Deutschland_ significa obrigado, Alemanha, do fundo do meu coração… mas só sei falar isso em Alemão, apesar da minha ascendência germânica) , está bem estável.
Por outro lado,  muito do meu sumiço, se deve ao fato de eu estar trabalhando muito, o que é ótimo. Consegui até ser promovida, depois de 8 anos no mesmo patamar. Estou super realizada no meu trabalho.
O único problema é que eu estou simplesmente ESGOTADA. Não consigo pensar em outro termo se não esgotada, para me definir. Ultimamente tenho dado graças a Deus por eu saber me maquiar, porque assim, as pessoas não conseguem enxergar o caco de pessoa que estou.
É bem provável que, pela primeira vez, eu tenha me dado conta que, apesar de ser viciada em trabalho, não conseguir parar, eu tenho de fato algumas doenças crônicas, mesmo minha mente tente me ludibriar com uma disposição que a maior parte dos doentes crônicos carecem.
A grande questão da exaustão é porque eu trabalhava super perto de onde eu morava e, desde agosto, a empresa que eu trabalho se mudou pra o centro da cidade, que fica aproximadamente a 30km de onde eu moro. Com isso, tenho que acordar de madrugada, e levo quase 2h todos os dias para conseguir chegar ao trabalho. À noite, o tempo de deslocamento é quase o mesmo.
Esse tempo gasto de deslocamento traz uma consequência problemática para doentes crônicos como eu: a falta de tempo para fazer exercício, que é uma parte fundamental no gerenciamento da dor e/ou doença crônica.
Em se tratando de exercícios físicos, 2019 foi péssimo para mim neste quesito. Fiz algumas  sessões de EMS (Eletroestimulação Muscular), que aliviaram bastante as minhas dores, mas depois, tirei férias (melhores férias da vida),  fiz cirurgia, tive outra trombose, que me impediram de me exercitar por mais de dois meses e, desde agosto, com esta mudança para o centro, aí é que não consigo me exercitar mesmo….cansaço é tanto que chego em casa e estou sendo capaz de dormir sentada na poltrona da sala e, perder o sono na hora que eu de fato vou para cama…  Para não dizer que estou completamente parada, comecei a  fazer aulas de forró na hora do almoço, mas sem dúvida alguma as pessoas que estão ali, são bem melhores do que eu … eu brinco que tenho 2 pés esquerdos, porque meu rítmo é péssimo (hehehe). Posso não dançar bem, mas que estou me divertindo, isso, com toda certeza.  Mas eu preciso me mudar para algum lugar mais perto do trabalho. Não estou conseguindo dar conta.
Tenho que conseguir marcar o endócrino. Apesar de estar tomando o remédio para o controle do açúcar no sangue, o exame de sangue confirmou o diagnóstico que já era mais ou menos certo de diabetes tipo 2.
A minha mãe acha que muito do meu cansaço esteja relacionado ao diabetes,  mas, eu tenho pra mim que o maior problema esteja ligado à SAF e ao fato de eu não estar conseguindo me exercitar.
Se eu pudesse fazer ao gênio da lâmpada um único pedido., meu pedido seria muito simples: AFASTA DE MIM ESTA EXAUSTÃO QUE HÁ MESES VENHO SENTINDO…

O ultimo mes

Tenho um tanto quanto afastada do blog… nao por perda de interesse, pelo contrário. O problema mesmo é a falta de tempo para conseguir sentar e escrever. Por isso peço desculpas aos leitores.
Neste ultimo mês tenho estado muito cansada e com muita artralgia. Apesar das maravilhas que meu fisioterapeuta faz com a minha coluna ( ele está conseguindo colocar meu sacro iliaco no lugar 🙂 ) minhas articulações estão testando minha paciência ao extremo.  Estou há quinze dias com uma tendinite no braço esquerdo que não estou nem conseguindo tricotar. Estou com boina, mitenes, a manta da minha sobrinha, todas atrasadas por causa da tendinite. Meus ombros, o tendão de aquiles do meu pé, meu quadril… Tudo dói. Não tenho nem tido muito animo para responder quando me perguntam: “e aí? tudo bem?” Minha resposta padrão tem sido “tudo” (sqn). O que acontece é q ninguém tem paciência quando dizemos que estamos sentindo dor. Como doente crônica, decidi que nao vou mais dizer às  que vivo com dor. Só quem vive com dor cronica pode dizer que entende o que eu e outras pessoas passam por causa da dor.
Na segunda feira tenho consulta no hospital e vou ver com o dr Flavio e com o Dr Roger se eles podem aumentar a dosagem da cloroquina, por que continuar com artralgia mesmo tomando cloroquina, cuja função é ajudar nas artralgias… pode ser que seja uma questão de ajustar a dosagem. Nao estou muito afim de acrescentar mais um remédio à minha lista de medicamentos diários, mas vamos ver… o que tiver q ser, será…
Com relação ao cansaço, embarquei em uma jornada para não ser derrubada por esse monstro. Depois do episódio da exaustão com os míseros 3km que andei (e não consegui fazer mais nada no final de semana), comecei a seguir algumas dicas daquelas dicas aos pacientes. Sendo a fadiga uma coisa comum aos pacientes, reli a dica “lidando com a fadiga” e não é que está dando certo 🙂 . Voltei a beber mta agua, comecei a fazer pequenas caminhadas de 20 minutos. Por mais que estejamos artralgicos e cansados, 20 minutos de caminhada é totalmente alcançável.  Não se preocupe com a distância que vc vai percorrer nesses 20 minutos. O importante é comecar. Eu sei que agora estou conseguindo fazer 30 minutos de caminhada. Mais do que isso eu fico cansada.
Tenho que parar… minha tendinite está atacada e está doloroso digitar. Na proxima semana posto como foi a consulta de Q2/2014 lá no hospital. Bjs

Semana Difícil…

Depois de uma semana complexa por causa do sangramento nasal, esta semana está se revelando péssima. Infinitamente pior do que a semana passada. A minha bursite no quadril voltou com força total nos dois lados. Não consegui fazer exercício esta semana. Estou tendo que fazer compressa de gelo e tomando novalgina para tolerar. O que me deixou mais chateada é que a acupuntura não funcionou tão bem quanto costuma funcionar. Normalmente passo mais de uma semana sem dor no quadril, mas desta vez, no dia seguinte já estava sentido dor novamente. Talvez tivesse sido melhor se eu tivesse feito eletro-acupuntura… Estou morrendo de vontade de fazer infiltração bilateral… Veremos