Fase Ruim

Como cita uma das minhas músicas favoritas do Diego Torres “La vida es un Vals”,  a vida é uma valsa, damos um passo à frente e outro atrás… No meu caso, dei um passo à frente e acho que devo ter dado uns três passos atrás.  Quem me acompanha sabe que desde agosto não escrevo nada aqui, simplesmente por não ter nada positivo para compartilhar com os leitores. Acho que quando não temos nada de positivo, é melhor ficarmos de boca fechada.
No entanto, recebi vários e-mails de alguns leitores, me perguntando o que estava acontencendo, já que há tanto tempo eu não escrevia nada.  Então vamos lá…
Além do problema com o Marevan que compartilhei com vocês, eu desde agosto estou lutando com unhas e dentes com uma depressão bem hard-core que, apesar de fazer terapia semanalmente, me forçou a ir a um psiquiatra e ele precisou me prescrever um antidepressivo. Cheguei a um ponto que não podiam me perguntar se eu estava bem depois de um simples bom dia, que caía no choro. Só queria chorar e dormir. Minha performance no trabalho entre agosto e setembro deve ter sido péssima… primeiro com o INR ridiculamente baixo e a enxaqueca que me acompanhou durante um mês e no mês seguinte, por causa da depressão. Por diversas vezes, a tristeza batia e quando eu dava por mim, as lágrimas estavam rolando dos meus olhos enquanto eu tentava trabalhar, ou então, tinha que me esconder no banheiro para chorar. Nunca eu tinha ficado tão mal com a depressão como fiquei desta vez. Literalmente eu fui nocauteada por uma tristeza que não cabia dentro de mim. Foi muito, muito ruim.  Não teria conseguido sair dessa se não tivesse buscado ajuda do psiquiatra para ele me prescrever o medicamento.
O remédio está me ajudando. Já estou conseguindo voltar ao normal. Conseguindo ouvir música sem chorar, ver filmes e desenhos, não estou mais chorando quando me perguntam se eu estou bem…não estou mais com vontade de dormir o tempo todo, mas, ainda não estou vontade de rir. Minha família as vezes pede para eu rir, já que algo legal está acontecendo, mas ainda não estou bem o bastante para ficar sorrindo.  Eu sei que é um processo. Não sei quanto tempo vai levar para eu me sentir bem o bastante para sorrir, mas vai chegar o momento que vou conseguir de novo.
Em relação ao INR, graças a minha irmã mais velha, consegui comprar o Falithrom (que é o Marcoumar que vendido na Alemanha). Ela tem amigos que sempre vão à Alemanha e eles trouxeram pra mim. Em apenas UMA SEMANA, o meu INR que passou quase dois meses super baixo, mesmo com clexane , alcançou o alvo de 3 determinado pelo reumatologista. Fiquei estável com ele por mais de um mês. Sem nenhuma intercorrência. Agora tenho um pequeno estoque de Falithrom para os próximos 6 messes, contando as caixas que os amigos da minha irmã trouxeram e as que eu consegui importar daqui do Brasil. Descobrimos um site que importa os medicamentos para os países.  É o Gold Pharma  . Por lá, o paciente consegue adquirir os medicamentos que geralmente não conseguimos encontrar no Brasil, como é o caso do Marcoumar que o laboratório Roche tirou do mercado por interesse comercial. Para comprar o medicamento é preciso se cadastrar no site, enviar a cópia do pedido médico além de responder um questionário com uma série de perguntas incluindo se você recebeu o diagnóstico de um médico.  Para testar se o site funcionava de fato, comprei 3 caixas do Falithrom. Apesar de ser importado, uma caixa com 100 comprimidos, que é a quantidade perfeita pra minha necessidade mensal sai por pouco mais de R$120 reais. Existe uma taxa de frete prioritário , mas ainda assim, compensa e no final das contas, saiu mais barato do que comprar 3 caixas de clexane (que dá pra 3 dias).  Levou um pouco mais de um mês pra chegar e o envelope veio carimbado e com selo de aprovação da ANVISA. Fiquei bem feliz que chegou.
Como se não bastasse, agora em outubro, tive uma infecção de ouvido bilateral que depois se complicou para uma labirintite. Fiquei muito mal. Passei 10 dias sem conseguir trabalhar. Voltei hoje pro trabalho. Tudo rodava. Chegava a ver estrelinha quando tentava fazer qualquer coisa. Eu quase enlouqueci e quase enlouqueci minha mãe que ficou o tempo todo cuidando de mim. Fiz exames de imagem além de exames de sangue pra ver se acusava alguma coisa diferente. Tirando algumas taxas alteradas, nada parecia diferente. Ao que tudo indica, esse inferno foi viral. Durante a crise, fiquei tão fraca que qualquer coisa que eu comia me fazia suar a ponto de ter que tomar banho. Se eu andasse um pouquinho, já ficava completamente pálida e exausta. A única coisa que se manteve nesse periodo foi minha fome… Mas ainda bem que agora estou bem. E é claro que a labirintite trouxe uma complicação para meu INR. Como tive que tomar um remédio para a tonteira, ele interagiu com o anticoagulante. Hoje pela manhã fiz um TAP e o INR está em 5.74. É a primeira vez que meu sangue fica fino com o Falithrom. Vou aproveitar pra comer verde e tomar suco de uva para ajudar a baixar o INR.

Mudando totalmente de assunto, resolvi meu problema com a Síndrome de Raynaud. Fiz a mitene abaixo para manter meus dedos aquecidos enquanto estou no ar condicionado gélido do meu trabaho.

 Mitene

Agora estou com as mãos quentinhas. 🙂

Anúncios

Sumiço

Caros leitores,

Como estão todos? Espero que estejam bem.

Desde a última postagem, entrei numa vibe não muito boa. Como na música do Zeca Baleiro “eu tava triste, tristinho… Mais sem graça que a top model magrela na passarela…”. Tanta coisa aconteceu que vcs  nem imaginam. Estamos em fase de transição na empresa e ficou decidido que haverá um pequeno corte de 80% no quadro de funcionários. Minha função _ assistente administrativo _ nem aparece no organograma. Pelo o que eles disseram, está em outro pool, mas em essência, vou ter que batalhar para manter o meu trabalho. Fiquei meio histérica com isso. Ainda estou. Desde que entrei na empresa, melhorei muito. Fiz faculdade, agora estou na Pós-Graduação, faço muito mais coisas do que simplesmente o trabalho de secretária, mas olho para meu currículo e me bate um medo de eles não acharem bom o bastante e eu acabar perdendo o emprego.  Com isso, fico histérica pensando no que vai acontecer se eu perder o emprego, como vou poder continuar meu tratamento, como vou poder me consultar com a minha neurologista, cuja consulta custa R$ 750 reais, os remedios da ortomolecular… Desculpe a expressão, mas é F%0@. Estou há quase 1 mês sem conseguir dormir direito por causa desse estresse.
Nesse meio tempo, eu e minha mãe resolvemos ajudar um filhote da minha rua. O Pingo era um viralata com toda pinta de labrador, que parece que só veio ao mundo para sofrer muito. Foi rejeitado pelos primeiros donos porque ele estava com a cabeça inchada e eles não queriam um cachorro doente. Por causa desse inchaço na cabeça, ele teve que operar 2 vezes porque ele estava com muitos coágulos na cabeça. Quase morreu e teve que tomar transfusão de sangue e tudo.  Quando saiu da clinica, foi para minha casa, eu consegui arrumar um novo dono pra ele e, duas semanas depois, logo que ele tirou os pontos da cabeça, ele apareceu com um caroço enorme bem em baixo da lingua. Achamos que tivesse sido uma farpa. Voltou pra clinica. Quando saiu, trouxemos para o Rio e ele parecia estar melhorando. Antes de ele piorar, ele parecia que estava curado. Brincou, pulou, mordeu… fez tudo o que um filhote sadio faz.  Mas no dia seguinte, ele voltou a ficar mal. Ele chegou a tomar algumas injeções de tramal para tentarem ajudar a ele a reduzir a dor que o pobrezinho estava sentindo.  Mas, os problemas dele continuaram a se agravar e ele faleceu  no dia 12/06 com apenas 3 meses e meio de vida. Vocês não fazem ideia de como eu fiquei mal. Os veterinários na clinica estavam consternados com a morte dele. E ninguém entendia o que tinha acontecido e minha mãe autorizou a necropsia e  no dia seguinte saiu o resultado… O Pingo era hemofilico. Nada do que fizessem poderia ajudá-lo. Disse que o corpinho dele estava cheio de coágulos e os veterinários comentaram que nunca tinham visto um cão hemofilico. Só o dono da clinica já tinha visto pouquíssimos casos. É muito triste porque é muito dificil ver um bebê sofrer. Mas, fizemos muito mais do que podíamos para ajudá-lo e tentar fazê-lo viver.

Eu contei o que aconteceu para minhas amigas de um grupo de apoio de portadores de SAF que participo e elas ficaram aturdidas e começamos a nos questionar se os animais também poderiam ter doenças autoimunes, como SAF, Lupus e tal. Descobrimos que cachorros e gatos podiam sim ter lupus, mas SAF ainda não sabíamos. Brincamos que o Pingo entrou na minha vida por um único propósito e dias mais tarde, um dos membros do grupo encontrou um artigo que mostrava que os cachorros também tinham anticorpos anti fosfolipides e haveria a  possibilidade deles também terem SAF_  O artigo está em inglês. Não tenho a autorização para traduzí-lo, então, quem tem mais conhecimento em inglês, poderá lê-lo_.

Estou há 15 dias meio mal de saúde. Peguei uma gripe que me deixou com labirintite e na última sexta-feira nem consegui trabalhar. Meu mundo rodava muito.  Esta semana fui praticamente todos os dias a médicos por causa da labirintite e da gripe. Agora já estou tomando remédio e minha labirintite não está mais tão ruim. A parte chata foi que a médica ficou apavorada com os meus problemas e em como eu estava zonza, que saí da consulta com pedidos de ressonância, tomografias e um encaminhamento para ir a um geneticista!?  :S Já estou bem melhor.Ontem eu tive que ir ao hospital. Estava ficando super mal no trabalho e fui pro Hospital. Da consulta no Hospital Vitória recebi duas boas noticias. A 1ª é que meus sintomas eram mesmo só de gripe \o/ \o/ (estou eu e metade da torcida do flamengo gripada) . A 2ª é que primeira vez em alguns anos o meu sistema imunológico está com os leucócitos acima de 3.400. Meus leucócitos estão em pouco mais de 5.000 (o normal é estar entre  4.500 – 11.000). Tenho certeza que são os remédios da ortomolecular que estão agindo, o que é justamente o que nós esperávamos. A má notícia é que o remédio da labirintite fez o meu INR subir muito. O INR está em 5.32. Vou ter que ficar 2 dias sem o anticoagulante e amanhã tenho que fazer o TAP de novo. Que aí os reumatos ajustam a dosagem.

Como podem ver, andei atolada com a história de cuidar do Pingo, pós graduação, trabalho, gripe… sem muita coisa pra contar.  Mas, tem vezes que é assim mesmo.  Espero que estejam todos bem.

Até a próxima!