Férias

Oi Gente, bom dia

 

Sei que há tempos não posto nada, mas, como comentei anteriormente, estou em uma fase meio introspectiva, sem muito ânimo para compartilhar muita coisa, até porque, Graças a Deus, em relação à SAF, as coisas parecem estar bem estáveis… ao menos de acordo com os exames laboratoriais. O anticoagulante lúpico tem se mantido positivo nos últimos exames e meu INR, graças ao Falithrom, tem se mantido estável, com uma ou outra variação.
Vinha em uma exaustão impressionante. Me mudei de apartamento e tive que fazer praticamente tudo sozinha. Só no último dia minha irmã conseguiu ir me ajudar, então fiquei exaurida. Sem força ou disposição para nada. Além disso, vinha passando muita dor por causa da luxação dos meus maxilares.
Consegui tirar férias no mês passado e consegui viajar para Barcelona. Foi a primeira vez que fui para Europa.
O passeio foi incrível, mas apesar de lá estar na primavera, eu passei muito frio e fiquei encasacada o tempo todo. Precisei até comprar outro casaco porque o que eu tinha não estava dando conta.  Além  disso, senti muita dor no quadril e as caminhadas me fizeram ficar com os ligamentos do pé inflamados. Como uma boa e velha paciente com SAF, óbvio que fiquei com medo de ficar com trombose, porque doia muito. Foram alguns dias que não pude sair por causa da dor e do inchaço no pé. Não fosse pelo bom senso da minha mãe, eu teria corrido para o hospital no primeiro dia. Graças a Deus quando chegamos de volta ao Brasil, descobrimos que o problema era só os ligamentos inflamados e se eu colocasse gelo todos os dias, a inflamação passaria. E foi o que eu fiz. Agora meu pé já está bom. 🙂
O bom das férias foi que eu dormi tudo o que eu não vinha dormindo a tempos. Nos 20 dias de férias que passei lá, acordei quase todos os dias depois de 10:30. Nem nos meus tempos de baladeira, eu conseguia fazer isso.
Andar de avião foi tranquilo. Estava cheia de preocupação por causa das clexanes que levei comigo, mas não tive nenhum problema em nenhum aeroporto. Nem pediram para abrir a bagagem.
Outro problema de dor que eu tive foi por causa da luxação da ATM. Senti tanta dor, que precisei tomar remédios muito fortes para poder aguentar o dia ou conseguir dormir. A dor era tanta que estraguei várias fotos porque eu tentava mexer o rosto para tentar rir e a cara entortava. É claro que eu não fazia de propósito, mas eu não estava conseguindo aguentar. Por causa da dor, não conseguia bocejar,  abrir a boca, precisava comer de colher. Foi meio frustante ir para Barcelona e não poder fazer aquelas coisas tipicas de turista: comer tapas, tomar uma cava, experimentar os doces típicos, comer jamón ibérico… Estou doida para poder voltar lá e fazer tudo isso.

Quando voltamos de viagem, minha mae me ajudou a terminar de arrumar algumas coisas da mudança que eu não sabia onde colocar e, tivemos a prova de como eu estava exausta. Ao longo do mês de março, fiz um monte de coisas que acabaram saindo pela metade. Na minha cabeça, tinha feito tudo certo, mas vimos que eu esqueci de trocar a roupa de cama da minha mãe, esqueci de pagar o cartão de crédito _ que na minha cabeça eu tinha agendado o pagamento, esqueci o filtro de café na cafeteira…. e  assim foi. Tomei muito esporro da minha mãe, mas depois de alguns dias, ela conseguiu entender que eu não estava bem. Ela disse que eu fiquei lesada por quase 1 semana, sem conseguir reagir direito. Além de todo cansaço, ainda tinha que me preparar para a  cirurgia que tive que fazer no começo do mês. ..

Anúncios