Susto com Marcoumar

Oi pessoal,

Tudo bem com vocês?

Agora que o susto passou, já dá pra contar a situação tensa que aconteceu comigo na semana passada… ou há algumas semanas para ser mais exata.
Há algum tempinho estávamos com uma situação chatinha lá em casa. Minha mãe precisava fazer uma cirurgia, para retirar a tireoide e ela havia sido cancelada 3x por inúmeros motivos. E eu que sou a filha mais nova e vivemos juntas, me programei para tirar férias e cuidar dela durante o período de cirurgia dela. Com o último cancelamento (por causa da greve dos caminhoneiros), meus planos foram por água abaixo. Não ia conseguir viajar e estávamos na expectativa do agendamento ou não da cirurgia. Claro que não consegui relaxar em momento algum. Só dormi bastante, o que estava de fato precisando. E consegui terminar um casaco de tricô que levei quase 1 ano para fazer. Enfim…  finalmente, na véspera de eu retornar ao trabalho, minha mãe operou. Deu tudo certo. Tirou os 2 lados da tireoide e terá de tomar levotiroxina pelo resto da vida agora. Isso é o de menos.
No meu workaholism, eu fiquei tensa, preocupada se minhas irmãs conseguiriam dar conta de tudo o que minha mãe faz além de cuidar dos cachorros e fazer curativo na cirurgia (que eu não tenho nenhum problema em fazer, mas minhas irmãs tem horror a sangue rrss). Eu sei que deu um nó na minha cabeça por tudo isso, mas segurei a onda bonitinho (pelo menos para quem estava de fora, que era o principal).
Por causa da cirurgia da minha mãe, meu trabalho permitiu que eu trabalhasse de casa até que ela tirasse os pontos. Voltei na 2a feira passada com esse susto..

Exatamente no dia que retornei ao trabalho, acordei com a boca com muito gosto de sangue. Achei estranho, mas como uso aparelho, achei que eu pudesse ter prendido a bochecha no aparelho ou coisa do tipo, mas quando fui banheiro, eu cuspi bastante sangue.  Quando olhei para minha mão, tinha um belo hematoma no dedo.  Fiz o TAP na hora do almoço. À noite, o resultado saiu: 7,61 . Minha mãe não me deixou mais chegar na cozinha por causa das facas, com medo de eu me cortar. Não tomei o anticoagulante naquele dia e meu jantar incluiu uma porção generosa de salada com rúcula. Acordei no dia seguinte, cuspindo sangue novamente e isso continuou até a hora do almoço mais ou menos. Fiquei enjoada e com dor de cabeça. Eu fui fazendo minhas coisas, mas minha mãe foi me monitorando. No trabalho, eu comentei com alguns colegas e todo mundo foi categórico em me mandar para o hospital. Não deu nem tempo de falar com o meu reumato. Fui para o hospital, fiz novo tap (tinha caido para 6.2), fiz tomografia, fiquei mais roxa do que já estava. Por causa do sangue tão fino, achei que eles fossem me dar vitamina K. Mas eles optaram por monitorar o INR. Caso não voltasse ao normal, a recomendação era que eu deveria tomar plasma.
E o monitoramento continuou até 6a feira (quando estava em 5,4). Comi folhas verde escuras todos os dias. Hoje fiz novo TAP para ver como ele está… e agora há pouco_ por volta das 19:30_ saiu o resultado e finalmente cheguei a 2.8, ou seja, depois de uma semana vou poder voltar a tomar o meu remédio… Ufa! Que sufoco…
Na terapia, minha terapeuta falou uma coisa que depois concordei plenamente: quando a gente não fala, o nosso corpo fala por nós. Eu não abri a boca para expor a minha preocupação com relação ao cuidado com a minha mãe, e trabalhar de casa, encerramento do curso de auditoria que eu estava fazendo, minha dureza, as dores nas articulações etc, e  quando eu finalmente consegui respirar que tudo tinha acabado e que tinha acabado bem, meu corpo somatizou o stress, afinando o meu sangue.
Esta foi a primeira (e talvez a última vez) que isso aconteceu usando o Marcoumar.
No dia 06/07 tenho consulta com dr Ricardo e vamos redefinir a minha estratégia de anticoagulação. Foi um susto e tanto, mas que graças a Deus, está caminhando para acabar bem…

Anúncios

Oi pessoal,

Boa tarde. Eu sei que já faz um tempinho que não posto nada por aqui, mas como diz o ditado: no news, good news. 
Sob o ponto de vista da SAF, estou bem estável. Sinceramente acho que há tempos eu não me sinto tão bem. Recentemente fiz alguns exames, solicitados pelo meu reumatologista e praticamente todos os itens estão perfeitos. O único que veio alterado e que não é surpresa nenhuma, foi o anticoagulante lúpico reagente* e, como é de costume nos meus exames específicos para SAF, todas as anticardiolipinas e o Antibeta 2- Glicoproteina 1 vieram não reagentes.
* OBSERVAÇÃO: Para os leitores que estão em investigação para SAF ou pacientes com SAF que não sabem o que o que é o anticoagulante lúpico, leia o artigo do laboratório Fleury explicando o que é. Vale muito a pena a leitura. Se você não conseguir abrir o link, ao contrário do que muita gente pensa (como aconteceu comigo quando fiz esse exame pela primeira vez e literalmente quase surtei), o anticoagulante Lúpico reagente no sangue não significa que o paciente tem Lúpus ( Existe sim um percentual de pacientes com SAF que tem Lúpus, mas não é este exame que vai definir se o paciente também tem o Lupus). Apesar do nome, este anticorpo (AL em português ou ainda LAC _ mais usual _ em inglês) indica a tendência aumentada do paciente a ter eventos trombóticos.

Desde que recebi o diagnóstico da SAF, este sempre foi o único exame que vinha reagente.

Em relação à saúde e ao gerenciamento de dor, continuo fazendo minhas meditações transcendentais e meditações guiadas, estou literalmente virando rata de academia (hehehe). Quem acompanha o blog deve se lembrar que eu contei para vocês sobre o tombo que levei na entrada de um shopping há alguns meses. Saiu o resultado da ressonância e para meu aturdimento, o exame mostrou que tenho 7 hernias de disco nas colunas dorsais e na lombar, e tenho inclusive um dos discos rompidos. Apesar disso, pelo menos meu caso não é cirurgico. O meu tratamento é o exercício físico. Parece que muito mais do que a fisioterapia propriamente dita, o exercício no meu caso é o melhor a se fazer. Por conta disso, além das caminhadas quase diárias e da hidroginástica,  comecei a fazer musculação. Vou para academia de 2a a 5a feira e nos finais de semana fico só na caminhada. Estou conseguindo fazer 6Km de caminhada por dia (indo e voltando do centro para minha casa). É uma vitoria e tanto. Eu sinceramente achei que teria um esgotamento de tanto que estou me esforçando, mas está valendo muito a pena. Meu nível de dor melhorou muito. Agora com a chegada do inverno, vou ter que dar um tempo na hidroginástica porque o banheiro da minha academia tem 4 ar condicionados que ficam ligados o dia todo. :S Eu que tenho a imunidade baixa, não é muito bom.

Com relação ao INR, pela primeira vez desde que comecei a tomar o Marcoumar, eu tive um inr abaixo de 1.5. Havia encomendado o remédio pela internet, mas por conta da greve dos caminhoneiros a farmacia não conseguiu entregar o meu remédio, então tive a não tão brilhante ideia de usar somente o aas enquanto o remédio não chegava. Aí, quando fiz o tap, o inr estava em 1.51. Até ele chegar, depois do resultado, por indicação do meu reumato, tomei o Marevan, mas ainda não consegui fazer o TAP para saber como está o INR depois que deu essa bagunçada. Em relação ao anticoagulante, estou meio angustiada porque só tenho estoque para o equivalente a um mês de tratamento e não estou encontrando nem na internet. O remédio está em falta nas farmácias virtuais também…. Tomara que não tenham tirado o Marcoumar do mercado, como fizeram com o Coumadin há alguns anos. Mas não vou me desesperar antecipadamente. Se o laboratório tirar o Marcoumar do mercado, tenho certeza que o reumato vai achar uma solução para meu caso…

Como dizia J.D Salinger Para cima com a vida, moçada…

Até a próxima 🙂