Highlight x Lowlight Outubro

É incrivel como o mês de outubro passou voando. Nem tive tempo de postar nada. Só no YouTube que coloquei um video falando sobre Meditação Transcedental no Gerenciamento da Dor. Se você ainda não assistiu, clique aqui para assistir.
O mês foi bem conturbado, no que diz respeito à saúde. No final de setembro passei por outro procedimento de ligadura. Passei tão mal depois que cheguei a ir para o hospital. E há poucos dias fui à medica e descobrimos que a razão do sangramento que tenho tido é por conta de uma fissura e o quadro de dor não é por causa da hemorroida, mas sim, por causa da fissura. Além disso, estou com outra hemorroida classificada de grau 2 ou 3. Agora tenho que fazer uma série de exames antes de fazer qualquer procedimento novamente. O grande problema é que o plano de saúde não cobre os exames. Vou morrer em aproximadamente R$1.300 reais (isso mesmo… hum mil e trezentos reais) para fazer 2 exames.  Vou ter que tirar férias para poder fazer esse exame, assim vou ter dinheiro para bancá-lo.  Honestamente estou quase pensando em fazer uma cirurgia mais agressiva. Tenho sentido dor  demais com as ligaduras. Perdi dias no trabalho 2x por que eu estava com tanta dor, que não tinha condições de trabalhar. Horrível.
Como falamos no meu trabalho, vou falar um highlight e  um lowlight sobre o facebook e como às vezes somos mal interpretados, causando um desgaste onde não deveria haver

O Highlight é que uma paciente do Rio de Janeiro,  colocou um depoimento no grupo, que há 12 anos ela vivia na angustia da dúvida de ter ou não SAF. Ela conversou comigo e se consultou com o Dr Ricardo Azedo, que eu havia indicado. Dr Ricardo conseguiu tirar todas as dúvidas dela, confirmou que ela tem a SAF e além disso, disse que eu tinha sido fundamental na jornada de descoberta dela.
É claro que eu fiquei lisonjeada. É interessante pensar que eu fiz a diferença na vida dela, afinal de contas, sou paciente também. O mérito da confirmação do diagnóstico é claro, foi do dr Ricardo.

Já o Lowlight tem a ver com um post que eu fiz no grupo (devidamente já apagado) fechado do Facebook. Atendendo à pedidos de uma série de pessoas que me perguntam sobre meu tratamento com a ortomolecular, eu coloquei duas fotos de pedidos de exame feitos por 2 médicas que me acompanham. Um pedido feito pela minha ortomolecular, um check-up super completo, com mais de 40 itens requisitados, incluindo litio, mercurio, saturação de ferritina. Já o outro, postado pela residente do HUPE, apenas com os exames reumatologicos. Brinquei sobre a quantidade de tubos e no final eu questiono quem as pessoas do grupo apostariam as fichas na hora de fazer um check up.  É claro que falei em tom de brincadeira, mas em momento algum duvido da capacidade da médica do hospital e, como paciente, sempre achei que a quantidade era sinônimo de qualidade, principalmente quando se trata de um  check up.  Eu tanto não duvidei da capacidade da médica que uma pessoa me perguntou por que ela não tinha solicitado exames completos e eu respondi que ela, como residente estava aprendendo, deixando a entender que ao terminar a residencia ela poderia pedir todos os exames que a outra médica tinha pedido. O simples fato de eu exemplificar os dois métodos de tratamento totalmente antagônicos, já denotam a minha ignorância, bem comum à qualquer pessoa que não seja da área médica. 
O problema surgiu quando deram um print screen da tela do post e mandaram para o meu Reumatologista. É claro que ele ficou chateado e imagino que não tenham enviado o post completo já que o final do post eu falava sobre check up.  Ele entendeu o post como se eu estivesse de gozação não somente com o atendimento, como com o hospital propriamente dito, o que não faz o menor sentido, ainda mais porque eu sempre fui muito bem atendida lá durante os cinco anos que me trato por lá. Por que cargas d’água eu haveria de ironizar com o hospital ou com a equipe que é totalmente abnegada, dedicada e atenciosa?!

Ele também disse que os exames pedidos pela doutora eram os necessários para quem tinha as mesmas patologias que eu e disse que eu deveria me retratar.  Minha retratação foi a abaixo:

retratação grupo facebook

 Desta vez, quem mandou o print do post para ele fui eu.  Quanto à residente, é claro que ela é competente . Do contrário, não teria conseguido entrar para residência no Pedro Ernesto. Pra mim, médico aprende todos os dias. Seja ele um profisional experiente, quanto alguém que está fazendo residência. E aprendem para se tornarem cada vez melhores, cada vez mais profissionais e serem admirados e respeitados como sumidades.
A comparação dos exames pode ter sido infeliz,  mas a minha ignorância de paciente não desqualifica (ou não deveria desqualificar) o profissionalismo da outra. Eu sou paciente, sou humana. E não é porque eu sou autora de um blog que é altamente visualizado, que não estou passível de falar bobagens, principalmente quando o assunto sou eu. 

Eu pedi desculpas, me retratei tanto pelo Facebook quanto por aqui (que tem maior número de visualizações) e espero que ele aceite minhas desculpas, mas… Depois do que aconteceu, eu não sei se eu sequer vou poder fazer a minha última consulta do ano no hospital. Ele ficou tão chateado que pode ser que ele não queira me atender ou que algum dos assistentes dele me atendam e, se for dessa forma, em breve terei que buscar um outro Reumatologista para me acompanhar… 

Vamos ver o que se dará. A consulta está marcada para dezembro… Até o próximo mês tem muita água para rolar… 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s